Como coletar dados dos clientes sem parecer invasivo?

Ter informações sobre os seus clientes é o primeiro passo para uma estratégia bem-sucedida dentro da empresa, sejam ações de marketing, criação de produtos ou outros. Para que tudo seja feito com assertividade, porém, é preciso se basear em informações precisas. Não existe discussão quanto a isso: o conhecimento acerca dos nossos clientes é a base de qualquer estratégia. Mas existe uma dúvida: como coletar dados dos clientes sem parecer invasivo?

Se você têm dúvidas quanto à melhor forma de fazer isso, confira as dicas que separamos para você acertar nessa estratégia:

Ofereça materiais ricos em troca de informações

No marketing digital, chamamos de materiais ricos aquele conteúdo bem elaborado, mais conciso e que o cliente percebe maior valor — podem ser videoaulas, e-books, tutoriais mais aprofundados, entre outros.

Esse tipo de material desperta a curiosidade do cliente e, com isso, ele não se sente incomodado em dar os dados em troca do conteúdo. Na perspectiva dele, o conteúdo é gratuito e o que está acontecendo é uma verificação para saber se é uma pessoa de verdade baixando o e-book, por exemplo, ou uma máquina. É uma bela forma de coletar dados dos clientes sem parecer invasivo.

Dê desconto para conseguir os dados do cliente

O consumidor não vê problema em informar seus dados pessoais em troca de descontos, conteúdos ricos ou qualquer vantagem que possa vir a ter. Essa é uma forma de conseguir as informações, sem parecer invasivo e permitindo que o próprio cliente faça o movimento de entregá-los.

Nesse caso, você não precisa fazer um pedido direto. Basta colocar um cupom de desconto, ou uma lista de promoções, por exemplo, para pessoas cadastradas no seu banco de dados.

Vários estabelecimentos já fazem isso — você já deve ter visto farmácias, cartões de supermercado e de lojas cadastrando CPF para dar desconto, além de muitas outras práticas semelhantes. Trata-se de outra forma de coletar dados dos clientes.

Considere a newsletter como uma opção

Outra coisa legal que pode ser feita, normalmente, para recolher o e-mail do seu público, é pedir para que eles assinem a newsletter. Mas, para que isso aconteça, é preciso que o conteúdo do site seja atraente o suficiente para o cliente querer receber notificações de coisas novas.

Cupons promocionais, novos produtos, guias e listas de dicas são alguns exemplos do tipo de conteúdo que atrai a atenção das pessoas. Assim, é interessante investir nisso porque, além de colher dados da clientela, você ainda consegue atrair mais clientes.

Crie eventos em que seja necessário cadastro para participar

Uma opção que não requer muitos recursos, mas consome algum tempo, é criar eventos online. Esses eventos podem ser criados com duas finalidades: trazer mais pessoas para perto da marca e conseguir informações sobre seus atuais clientes.

Esses eventos podem ser, por exemplo, um webinar — seminário transmitido por meio da internet —, em que os clientes precisam se cadastrar até uma semana antes para terem direito a acessar os vídeos, ou a transmissão ao vivo.

Peça as informações por meio do chat no site

Por fim, outra forma discreta de coletar as informações dos clientes é no atendimento online — o chat. Lá é possível ter uma interação mais direta com as pessoas e, dependendo de como o manejo da conversa é feito, dá para recolher, ao menos, as informações básicas.

Iniciando o atendimento, o atendente precisa estar ciente de que precisa responder ao que o cliente pergunta — se o cliente perguntou o valor de um produto, ele deve responder, em primeiro lugar, o valor do produto.

Respondido isso, ele poderia, por exemplo, pedir o e-mail da pessoa para poder enviar a ela a tabela de preços detalhada. Dessa forma, o atendente consegue a informação de contato do seu cliente e ele a entrega de espontânea vontade.

Como pôde ser visto, coletar dados dos clientes sem parecer invasivo não é uma tarefa difícil. Na verdade, isso deve tornar-se algo natural na rotina da empresa.

Gostou de saber mais sobre esse assunto? Então compartilhe este texto em suas redes sociais e marque seus colegas que estão em busca de boas estratégias para fazer a coleta de dados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.